Terraços e Varandas: Novos Espaços de Convívio

18 Julho 2018

Horto do Campo Grande - Terraços e Varandas

[vc_row][vc_column][vc_column_text]À medida que a construção urbana cresce desenfreadamente, assistimos a uma diminuição da presença de espaços verdes especialmente nas grandes cidades. Face a este cenário, os terraços e varandas têm vindo a revelar-se espaços cada vez mais utilizados para a criação de pequenos jardins, hortas ou áreas de lazer. Descubra boas práticas para aprender a tirar o máximo proveito do seu espaço. Inspire-se num dos nossos projectos.[/vc_column_text][vc_column_text]Projecto: Um terraço para amar

Área: 120 m2

Localização: Miraflores, Oeiras[/vc_column_text][vc_column_text]O maior desafio no tratamento de terraços e varandas reside na procura de soluções que permitam a vivência pretendida em cada espaço. Em primeiro lugar, devemos centrar-nos na procura de um conceito e/ou estrutura geral, articulando posteriormente pré-existências e novos materiais.

Neste caso concreto pretendia-se que o terraço tivesse vários ambientes de acordo com as divisões que comunicavam directamente com o exterior assim como um espaço de lazer. Assim, foram projectadas 3 zonas principais: uma zona de estadia marcada por um elemento de água central e um pavimento em revestimento de seixo rolado, contígua à suite principal do apartamento; uma área de refeições inserida num pavimento em deck, com acesso directo a partir da sala de estar e cozinha e uma área relvada (relvado artificial) especialmente pensada para as crianças da casa.[/vc_column_text][vc_single_image image=”2875″ img_size=”full” alignment=”center”][vc_column_text]

Decoração

De forma a atenuar a sensação de estarmos em pleno espaço citadino, a vegetação surge na periferia do terraço como elemento simultaneamente decorativo e estruturante, criando “barreiras visuais” com alguns elementos existentes na proximidade esteticamente pouco interessantes.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/2″][vc_single_image image=”2864″ img_size=”large”][/vc_column][vc_column width=”1/2″][vc_single_image image=”2859″ img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Selecção da vegetação

As plantas seleccionadas tiveram em consideração a adaptação ao clima da região, na sua essência maioritariamente mediterrânicas (alecrins, alfazemas, festucas, westringias, nandinas, etc.), com algumas plantas marcantes e de maior porte nas extremidades e zona central (Oliveiras e Cycas).[/vc_column_text][vc_single_image image=”2877″ img_size=”full” alignment=”center”][vc_column_text]

Isolamento e drenagem

Para recepção de todo o material vivo, optou-se por complementar as floreiras de alvenaria já existentes em algumas zonas, por floreiras em chapa, feitas por medida, com tratamento antioxidante, com sistema de drenagem interna e sistema de rega automatizada, de forma a tornar o sistema mais autónomo.[/vc_column_text][vc_single_image image=”2880″ img_size=”large” alignment=”center”][vc_column_text]

Horto do Campo grande

Campo Grande, 171

1700-090 LISBOA

+351 217 826 660

Email: loja@hortodocampogrande.com

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]